Cano neles! As peripécias do Sr. Campello

Depois de longos 3 meses de quarentena, eis aqui nossa coluna de volta. Muito cedo ainda para avaliações mais apuradas. Mas o time demonstrou uma outra forma de jogar, por sinal bem mais interessante, e foi o bastante para vencer o possante Macaé por 3 a 1.

Hoje bastou um tempo para a construção do resultado. Em particular, 3 peças se destacaram hoje: Andrey, Vinicius e German CANO. Oo Vasco fez um bom primeiro tempo mostrando uma organização dantes não vista.E na defesa optou por um esquema difente: optou por prender o lateral Henrique como um terceiro zagueiro, auxiiando Castan e Ricardo Graça na zaga central. A não ser o erro pontual de Fernando Miguel no gol do Macaé, a defesa se portou bem. Na frente, boas jogadas pelo lado direito, e aos 12, tabela entre Vinicius e Pikachu, Pikachu invade a área e é derrubado. Pênalti e Cano bate forte, no canto, marcando o primeiro dos seus 3 gols. Aos 32, Vinicius dribla Maranhão pelo lado direito e cruza; Pikachu dá um corta luz desajeitado e a bola sobra para Cano apenas chapar e marcar o segundo gol. Aos 39 minutos, Pikachu deixa uma avenida às suas costas e permite o cruzamento para Alessandro ganhar de Castán no alto e cabecear para defesa de Fernando Miguel. E me seguida, um minuto depois, na cobrança de escanteio, Fernando Miguel sai a catar coquinhos e Jones cabeceia para o gol vazio. Mas aos 45, novamente Vinicius pela direita cruza, Felipe Bastos pega a bola e toca para Germán Cano, livre, conferir e fazer o seu terceiro gol no jogo.

No segundo tempo, o jogo caiu muito e pouco se viu de futebol, tendo em vista o cansaço natural de reinício de temporada e o Vasco veio em um ritmo bem mais lento. Ainda assim, teve uma boa chance com Andrey aos 27 minutos, em um chute da entrada da área e acertou a trave e aos 42, novamente German Cano, só que o chute sai fraco e Jonatas defende facilmente. Ou seja, uma vitória bem tranquila do time cruzmaltino construída no primeiro tempo.

Em relação aos últimos 3 meses, conforme a coluna do parceiro Zeh Catalano, Alexandre Campello se colocou de forma subserviente ao maior rival, em um encontro com o capitão presidente atual de nosso país em Brasilia, servindo como bucha do presidente do Império do mal. A dificil situação financeira do clube cruzmaltino, com 3 meses de salários atrasados levou Campello ao desespero,com a venda completamente tresloucada de Marrony para o Atlético Mineiro e essa subserviência patética que levou o Vasco a desgastar ainda mais sua imagem já arranhada perante a opinião pública. Ou seja, Campello vem terminando seus últimos 4 meses de mandato, de forma melancólica e lamentável com a venda de um bom jogador de nossa base a menos de 20% de sua multa rescisória, ou seja, não dará sequer para botar as contas em dia. Enfraqueceu um já combalido elenco e não resolveu o problema financeiro. Chega logo novembro….Jamais historicamente devemos nos aliar aos mulambos. Jamais, em tempo algum. Sempre tivemos independência, sr Campello. Uma bola fora lamentável em todos os aspectos.