Calma e atitude

ge

Que vascaíno pode estar satisfeito com o começo do campeonato brasileiro? Nenhum. Empate com o América Mineiro e derrota para o Luverdense.

Por isso mesmo, compreende-se algumas reações até exasperadas.

No entanto, é fundamental que se tenha calma nesse momento. Arroubos de qualquer espécie mais podem atrapalhar do que somar.

Claro, o clube precisa fazer a sua parte. Mesmo questionável em algumas posições, o time do Vasco tem que brigar no topo de cima da tabela e resolver o mais rápido possível a volta à série A. Para tal, reforços são necessários e urgentes.

Eu já tinha falado de Adilson nesta coluna outras vezes. Está longe de ser o treinador dos sonhos. Se pudesse pardalizar menos, seria melhor para toda a família vascaína. Mas entendo que, se não é de meu agrado, nem por isso está tão distante de outros falantes professores por aí que tem muita banca e pouco resultado.

Vem aí o jogo contra o Atlético Goianiense em casa no próximo sábado. Mais uma vez punida por conta de minorias e interesses alheios ao futebol, a torcida precisa encontrar meios alternativos de passar força ao time. Um grande mutirão vascaíno em torno de São Januário seria um fator positivo. Confuso em campo, na direção, nos bastidores e sempre como alvo da FlaPress, o Vasco precisa mais do que nunca de seus torcedores juntos para empurrar uma maquina que jamais deveria estar emperrada, mas está. Nunca é demais lembrar: jogadores, treinadores e dirigentes passam, o amor vascaíno permanece com a força de sua imensa torcida.

Como estrangeiro na questão, tenho até certa dificuldade para falar o que precisa ser feito. Tenho a impressão que a lista do que não deveria sê-lo fala por si. Uma coisa é certa: todos sabem que o Vasco está no lugar e na dimensão erradas de seu patrimônio e sua história dentro do futebol brasileiro. Não consigo pensar em fórmulas mágicas, o que me causa certo ceticismo ao ver os discursos políticos em torno do clube. Mas sei que muita coisa não está boa e que, se não é resolvida com calma, na exasperação é que não será.

Acima de tudo, três pontos para acalmar o ambiente no próximo sábado. Vencer ou vencer. Se o time não está no imaginário Olimpo vascaíno, a boa campanha do Carioca 2014, perdido na tunga, demonstra que melhores resultados podem vir sim. Acima de tudo, equilíbrio. E claro, ter calma não significa ser estático: atitude é fundamental.

Adilson, não invente! Bola pra frente que a reação é para ontem.

@pauloandel

Imagem: GE