Barrado na festa…

Com um gol de falta, onde o goleiro gordinho do adversário armou uma barreira bisonha – será que ele não sabia que o Rodrigo cobra bem faltas…?, e ainda pulou atrasado, vencemos o campeão alagoano.

Jogamos mal. Não há como dizer outra coisa. Parecia que estávamos ainda de ressaca da festa pelo bicampeonato estadual. Normal e esperado.

Mas além disso, demos sorte de o Jordi ter sido barrado na festa do título…

Com pelo menos cinco defesas espetaculares, foi o melhor em campo e graças a ele, nossa invencibilidade (agora são 26 jogos…) foi mantida e voltamos de Maceió com um bom resultado diante do “futebolzinho” – nada a ver com o nosso bravo Zinho…, que jogamos.

Precisamos virar a chave. A bela conquista já está no passado e agora temos pela frente os dois campeonatos mais importantes do ano.

Ontem demos sorte com a noite iluminada do nosso goleiro reserva e de uma falta muito bem cobrada do Rodrigo.

Destaco também a péssima atuação do trio de arbitragem.

Erros grosseiros que prejudicaram as duas equipes.

Nenê sofreu um rodízio de pancadas sob as vistas de um complacente “soprador de apito” que no máximo sacava cartões amarelos.

Sábado recomeçamos o nosso calvário na série B. Jogo difícil contra o Sampaio Corrêa, em São Luís e ainda sob os efeitos (menores, eu espero…) da festa de domingo passado.

Seria ótimo começarmos com vitória. Aliás o “melhor dos mundos” seria vencermos bastante nessa fase inicial do campeonato. Criaríamos a tal “gordura” para uma ou outra queda de rendimento durante essa longa caminhada.

Fim do jogo e o entrevistado foi o destaque da noite. Jordi dava uma boa entrevista e nesse momento eu me lembrei dele dando entrevista ao fim daquele desastre (o único que falou!) no ano passado quando fomos goleados pelo Internacional.

O mundo dá voltas…