A Bandeira da hipocrisia

Se aproxima o final do campeonato de 2015 e é enorme a indignação desse organismo chamado opinião pública com o pretenso favorecimento ao Vasco.

Até o momento contamos com sete pênaltis marcados para o Vasco. Desses, um único – contra o Bonsucesso – é questionado com mais firmeza. Os demais, ou são claríssimos, como o 3o de ontem, ou são no mínimo lances de interpretação do árbitro. E é nesse ponto que os críticos vêem o Vasco sendo ajudado.

Na semana do jogo contra o Vasco, foi noticiado o medo do Flamengo de que um pênalti contra a Gávea fosse marcado a favor do Vasco. Perdemos o jogo com um gol de pênalti. Existente. Parabéns a eles.

Em 2014, em nossas duas partidas contra o Flamengo, a arbitragem teve papel decisivo. Mas atentem, há uma diferença entre os pênaltis deste ano e os erros do ano passado: Pênaltis são fruto da interpretação do árbitro. O Vasco empatou o primeiro jogo com o Flamengo por 1 a 1, com uma bola tendo entrado 30 centímetros e não sendo considerada como gol e outra, idêntica, que certamente não entrou sendo o gol de empate do Flamengo. E na final, mais de um metro de impedimento ignorado.

Não há interpretação nestes lances. Todos são de mera observação e aplicação da regra.

O campeonato de 2014 foi decidido por um lance escandalosamente irregular, aos 47 minutos do 2o tempo da decisão.

Quem era o presidente da federação na época? Senhor Rubens Lopes.

O senhor Bandeira de Melo, já presidente do Flamengo, mostrou indignação com os erros? Não.

Ameaçou abandonar o campeonato em protesto contra a arbitragem? Não.

Reconheceu o erro da arbitragem? Mostrou alguma espécie de vergonha, tristeza ou lamento pelo ocorrido? Não.

Alguma outra instituição se mostrou indignada e ameaçou abandonar o campeonato em solidariedade ao Vasco? Não.

Roubado… É, você sabe.

O curioso: o Vasco só não se classifica pras finais caso perca por um gol a mais que o Madureira. Ou seja, o Vasco pode até perder por 1 a 0 que ainda assim estará classificado. Então, por exemplo, se aos 40 minutos do segundo tempo, o Vasco estiver perdendo por 2 a 0 pro Voltaço e o Fluminense estiver ganhando do Madureira pelo mesmo placar, basta ao Fluminense fazer um golzinho – contra – para eliminar o Vasco do campeonato. Já pensou se fosse o contrário? Pois é…

O que os senhores Peter Siemsen, Frederico Guedes e Mario Bittencourt esquecem é que o Fluminense só está disputando sua classificação diretamente com o Madureira porque este teve dois pontos seus subtraídos por um errinho num jogo contra… o Flamengo. Coincidentemente uma bola que não entrou, mas foi dado o gol. Sem este (não) gol, o Madureira estaria classificado, com 32 pontos, e a última vaga estaria entre o Vasco e o Fluminense, com este tendo de vencer o Madureira e rezar para o Vasco não ganhar seu jogo. Irônico, não?

abraços

Zeh