Até quando esperar….o que virá pela frente na Série A?

Com a eliminação no Cariocão 2017, o Vasco ficou de “férias” forçadas por 3 semanas. A derrota para o Fluminense poderia ter sido um vexame ainda maior se o mesmo não parasse em Martin Silva. Em termos práticos já vimos que ganhar o carioca não serve de parâmetro para absolutamente nada daqui para a frente. Mas ficam as chacotas adversárias a nos lembrar que fomos rebaixados 3 vezes, os pedidos de “Fica Eurico”. Enfim, há anos que temos que aturar isso. Até a pecha dos nossos fregueses dizendo que vão restaurar a verdade sobre nós, quando temos 22 vitórias a mais. Quando eles tinham Rivellino nos longinqüos anos 70 é que nós éramos fregueses lá atrás. Eles vão levar uns 20 anos pelo menos para tirar a diferença, se é que irão conseguir. A gente tirou a diferença de 85 até 1992. Mas deixemos isso de lado. O que interessa é como o Vasco irá se portar na Série A este ano.

O Brasileiro da Série A é um dos campeonatos mais desgastantes e disputados do mundo. Com a possível saída de Rodrigo e a perspectiva de poucas contratações, entre elas a de Anderson Martins para a zaga (o mesmo está a se empenhar para vir para cá), MM vem buscando jogadores na base. Base esta que está a fazer bonito na Copa do Brasil, onde eliminou categoricamente o São Paulo com sonoros 2 a 0, só lembrando que o São Paulo é uma das melhores bases do nosso futebol, tendo sido campeão sub 20 da Libertadores da Categoria. Esse atual time da base é bom ? Sim, tem alguns bons valores. MM já colocou que pretende subir Ricardo Graça, Alan Cardoso, Cosendey e, possivelmente Mateus Vital e Andrey. Realmente, esses meninos vêm a fazer um bom trabalho. Desses citados, Ricardo Graça e Andrey são os que vêm atuando melhor. Alan Cardoso esteve no time de cima no início, mas sem maiores explicações, acabou descendo para o sub 20 novamente. Ele e Ricardo Graça jogam juntos desde os 12, 13 anos. No youtube têm vídeos mostrando os dois fazendo a ala esquerda de defesa cruzmaltina. Tratam-se de jogadores com ótimo potencial. Os três podem subir sem susto. O problema é colocar muitos jogadores de base em um campeonato como a Série A. Será que eles aguentam o tranco ?

Nossa estreia será no dia 14 justamente contra o atual campeão Palmeiras e no Allianz Parque. Se este jogo fosse hoje, não há dúvidas de que seríamos fortes candidatos a levar uma senhora chinelada. Só não sabemos de quanto seria. Mas até lá, treinaremos e treinaremos. O Palmeiras foi eliminado no Paulistão pela Ponte Preta, mas nas Libertadores virou um jogo que parecia perdido no Uruguai, tendo levado porrada dos uruguaios no final do jogo. Estão entre os melhores brasileiros, junto com o Grêmio, com 10 pontos ganhos. Não sabemos que time eles colocarão na estréia. Mas seja como for, qualquer que seja o time, é infinitamente superior ao nosso. A aposta nos meninos da base pode ser uma saída, de repente para impor uma correria ao Palmeiras. Mas até que ponto isso teria resultado prático ? O ideal seria umas contratações pontuais, pelo menos dois zagueiros, um meia-armador e um atacante. Quanto às laterais, se subir o Alan Cardoso, não precisamos contratar, pois o Henrique vem correspondendo por ali. O Gilberto deixa uns buracos na direita, mas apoia bem. Porém, o correto seria uma mescla; um time só de jogadores da base pode custar caro, tendo em vista que sempre um time de garotos terá alguns prontos para jogar no profissional, como foi Luan quando subiu e outros nem tanto. O Evander está aí para provar isso. Vamos aguardar.

Portanto para nós torcedores, tendo em vista as eliminações no Estadual e na Copa do Brasil, de forma precoce, o que esperamos ao menos é muita luta, tranquemos a defesa e partamos nos contra-ataque. Com as limitações que certamente enfrentaremos na Série A, o melhor para o Vasco é ter um time de operários. Em 1974, quando tivemos o primeiro título nacional, não éramos os favoritos entre os 4 semifinalistas. Nós éramos inferiores tecnicamente ao Cruzeiro de Nelinho, ao Santos de Pelé e ao Internacional de Falcão e Figueroa. No entanto, levamos o título no final. Em futebol, é possível fazermos uma campanha ao menos digna, se entrarmos com raça e espírito de luta. O Vasco de 1974 está aí para nos provar isso. Tendo-os como inspiração, tentemos ir em frente pois atrás vem gente.

+——————————————————————————————————-

Esta semana, leitores vocês viram o espetáculo burlesco em que nosso mandatário se submeteu na Assembléia Legislativa na audiência sobre o Maraca ? Quando ele sentou na cadeira, dormiu na cara dura. Aff e têm vascaínos que ainda defendam este cidadão. Eurico não aguenta nem mais falar direito. Foi um cara que contribuiu muito nos bastidores como representante na Federação no início dos anos 80 e como vice de futebol. Vice de futebol, entenderam partidários do sapo ? Não dá mais para Eurico. O tempo dele já passou. Se quiser, faça como Calçada, atue nos bastidores. Calçada é presidente de honra. Junte-se ao Calçada na retaguarda cruzmaltina. Mas tem que sair da linha da frente. Já passou da hora. Um recado aos que defendem Eurico: não estamos mais nos anos 90!! Quem vive de passado é museu. Acordem para a vida e desapareçam por favor. Dêem espaço a outras lideranças cruzmaltinas com pensamento voltado para a modernidade. O tempo passa e continuaremos parados no tempo !!??

+——————————————————————————————————-

Quanto a publicação de notícias desencontradas esta semana: a única que parece verdadeira é a saída do Rodrigo. No mais, são boatos infundados que foram desmentidos pelos jogadores. Plantados para tumultuar o já tumultuado ambiente cruzmaltino. Recado dado.