As eleições cruzmaltinas – o estranho apoio a atual diretoria

Tem se observado nas redes sociais cruzmaltinas, alguns sócios e/ou torcedores, ou fakes pagos que defendem o atual grupo que dirige nosso amado Vasco da Gama. É preciso antes de mais nada, analisarmos bem o perfil desses seres um tanto ou quanto lunáticos.

As pessoas que apoiam o atual grupo no poder parecem estar nos anos 80, 90. Ou seja, são saudositas, acreditam que a realidade do futebol é a mesma daquela época. E hoje sabemos que não é assim que funciona. O fato é que hoje tudo mudou. Futebol é marketinkg, administração eficiente de recursos, sócios torcedores. Enfim, um mundo completamente distinto dos anos 80. Então, não nos parece razoável se defender um modelo hoje arcaico e completamente ultrapassado.

Mas por que em 2014 esse grupo voltou ao Vasco ? Por que o medo do novo ? As eleições cruzmaltinas têm algumas particularidades que não existem em outro lugar. Dificil entender porque tanta confusão, tanta briga. Mas infelizmente, o gigante da colina possui grupos heterogêneos demais; por isso as constantes desavenças. Por isso, nos longínquos anos 80, surgiu uma raposa, Antonio Soares Calçada que conseguiu unir essas correntes e que durante quase 20 anos ganhou muitos títulos. Teve a proeza de aglutinar o atual grupo diretor. O que prova que os 17 anos vieram após a saída de Calçada, foram um desastre quase total. E hoje falam que Calçada era a rainha da Inglaterra. Mas se esquecem de que o dinheiro que formava bons times vinha da rainha da Inglaterra, através do vínculo que Calçada mantinha com empresários cruzmaltinos, o que hoje não existe.

O fato é que hoje, com o atual grupo no poder, a nau afundou em 2015, quase submergiu em 2016 e hoje tenta se manter de pé a duras penas na Série A. O certo é que há um consenso na torcida que não é sócia, que não podemos manter esse grupo e correríamos o risco de se tornar um clube obsoleto possíveis níveis de torcida afora por esse Brasil. Portanto que Horta, Campello, Brant e Otto unam a oposição para por fim a um círcculo vicioso que não levará o nosso amado Vasco a lugar algum. Por isso, apelamos aos sócios que reflitam bem antes de votar, sob pena de condenar o Vasco da Gama a um ostracismo sem fim.