Aniceto Moscoso

Quarta feira, 19h. Meu dia de trabalho está se encerrando. O ar do metrô irrespirável. Hordas de flamenguistas uniformizados indo ao jogo.

Quinta feira, 15h. Estou de novo no metrô, voltando de Botafogo, sem almoço. Nenhum Vascaíno indo ao jogo. Nem eu.

Semana de carnaval. A cidade está lotada de turistas, gringos, brasileiros de todo canto. Logo, um jogo no Maracanã à noite é um programaço para se fazer.

Ir a Aniceto Moscoso, estádio histórico do Madureira, na garbosa Madureira, para um jogo em dia útil, quatro da tarde, não é. Para chegar em Madureira de metrô e trem, caminhar até o estádio e comprar o ingresso, o cidadão que, como eu, estava em Botafogo ou no Centro da Cidade, teria de iniciar o périplo por volta das 14h. Ou seja, quem trabalha não pode ir. E o turista, excetuando-se o Vascaíno apaixonado, não vai abandonar a praia para atravessar a cidade para ver um jogo no acanhado estádio de Madureira.

Estive, literalmente em outros carnavais, no Maracanã para ver clássicos nos sábados de carnaval. Fui a dois Vasco X Fluminense, por exemplo. Um inesquecível 4 x 4. Então, se o Flamengo jogou pela Libertadores numa 4a feira à noite, por que fazer o Flu jogar em Macaé na 4a feira e o Vasco torrar na tarde de 5a feira em Madureira ao invés de proporcionar ao visitante da cidade a oportunidade de assistir um clássico ao vivo?

O joguinho de 4a feira com certeza produziu novos flamenguistas. Centenas deles. O jogo de 5a provavelmente nenhum novo Vascaíno. A rodada é tão “bem” bolada que nem em São Januário o Vasco joga. Nem o Flu joga no Maracanã. Nem o Botafogo. Isso não é coincidência. Tampouco teoria da conspiração. É fato. O objetivo é fortalecer apenas o time querido. Para poder mostrar como a “nação” é grande e como os outros não têm torcida. Isso tem de acabar. E logo.

Só para deixar claro: Acho fundamental jogos em Moça Bonita, Aniceto Moscoso, Italo Del Cima, Rua Bariri… O problema não é jogar nesses charmosíssimos estádios. O problema é a ocasião.

*****

Troquem a camisa de Edmilson pela do “craque” Hernane, pedido na seleção, e estaríamos vendo a imprensa especializada pedir Edmilson na seleção. Faz gol de todo jeito, se coloca bem, sabe cabecear etc. Nas redes sociais Vascaínas, já surgem elogios a Alecsandro, que era execrado quando vestia a camisa do Vasco. O que houve? Aprendeu a jogar? Tá fazendo algo de diferente de quando jogou em São Januário? Não. Está sendo visto e divulgado pela imprensa com o “manto”. E o mais impressionante é que nos deixamos levar por essa armadilha. Tem gente com saudade. E a saudade é artificial.

A propósito, nenhum dos três (Edmilson, Hernane e Alecsandro) joga nada. Mas ainda prefiro o que está em São Januário.

Complementando, em 28/02, 11:40h:

Não sabia, mas há sim jogos no Sábado de Carnaval. O Botafogo jogará em Moça Bonita, às 16h e o Flamengo jogará, de novo, no Maracanã, no confortável horário de 18:30h. Ou seja, o turista que veio ao Rio para o Carnaval poderia ter escolhido ver o Flu em Macaé, o Vasco em Madureira, o Botafogo em Bangu ou o Flamengo, duas vezes, no Maracanã.

A culpa é nossa. Dirigentes de merda que deixam essa nojeira acontecer, como se nada fosse. E a gente, que acha que tudo é apenas coincidência.