A vitória de Maxi Lopez

Após um jejum de 5 jogos, finalmente o Vasco volta a vencer. E em grande estilo. E em uma tarde/noite inspirada, Maxi Lopez teve uma atuação determinante: com dois passes e um gol antológico se tornou o principal jogador na vitória de hoje sobre a Chape. É isso aí, hoje quebramos um tabu de nunca vencermos a Chapecoense em jogos oficiais. Até então, a única vitória tinha sido em 1978, na antiga Arena Condá, outrora estádio Índio Condá, em uma vitória por 3 a 1 também, na época de Orlando Lelé.

O jogo de hoje tecnicamente foi muito ruim. Principalmente no primeiro tempo. Mas valeu pela entrega e pela raça da equipe cruzmaltina. O primeiro tempo praticamente não teve chances de gol. Teve um chute de Pikachu de longe, para uma fácil defesa de Jandrei; outro em cruzamento de Henrique onde Maxi Lopez dá um passe de peito para Pikachu chutar para fora e aos 45 minutos, cruzamento de Wagner e Maxi Lopez cabeceia rente à trave. E só. A Chape jogou fechada e dificultou muito as ações cruzmaltinas.

No segundo tempo contudo, o jogo foi mais corrido, embora continuasse a não ser um jogo bom tecnicamente. Mas com mais correria e vontade. E logo aos 8 minutos, o Vasco consegue o primeiro gol: Maxi Lopez faz o pivô, faz um giro e lança magistralmente Wagner, que avança e fuzia Jandrei, abrindo o placar para os cruzmaltinos. A Chape parte para dentro de forma desesperada e passa a nos incomodar. Teve um gol corretamente anulado, por falta em nosso zagueiro. Pouco depois, aos 15 minutos, Lenon escapa pela direita e cruza para Maxi Lopez que cabeceia rente ao travessão. A Chape tenta atacar sem sucesso, mas aos 33 minutos consegue uma falta na entrada de nossa área. Cobrança feita e Leandro Pereira sobe sem ser incomodado. Empate em 1 a 1. Impressionante a indolência da defesa cruzmaltina. Ninguém, absolutamente ninguém tentou subir para sequer atrapalhá-lo. Após o gol, a equipe cruzmaltina entra en pane momentânea e a Chape se aproveita para tentar virar o jogo. Só que aos 38 minutos, a Chapecoense perde a bola em contra ataque e Andrey segue com a bola e dá um passe preciso para Maxi López, que domina, gira e solta uma bomba no canto direito sem chances para Jandrei. Golaço e 2 a 1. Com isso, a Chape desanima e ainda há tempo para, nos acréscimos para o Vasco fazer o terceiro, com um lançamento preciso de Maxi Lopez para Thiago Galhardo invadir a área adversária e fuzilar Jandrei, dando números finais à partida. O que começava a ganhar contornos de drama após o empate da Chape, se transformou em uma boa vitória.

E a vitória de hoje não só quebra um incômodo tabu, bem como serviu para acalmar os ânimos cruzmaltinos. Estamos agora em décimo terceiro lugar, a apenas 3 pontos do Z4. Quarta agora, o jogo contra o Atlético Paranaense será uma espécie de divisor de águas para o Vasco. Se vencermos, o que será uma dura missão, nos afastamos um pouco mais do Z4, o quanto antes. Se empatarmos, livramos 4 pontos do Z4. Esta partida de quarta-feira, é preciso jogar com inteligência. Não é preciso sair atacando feito índio. É sair na boa, como foi contra o galo. Aos poucos, a gente conseguirá sair das cordas e ter uma travessia mais tranquila, no Brasileiro.