A virada da estréia

Foi uma partida dura, sofrida. Mas  não poderia ser melhor nossa estreia.  De virada e no último minuto, o time cruzmaltino derrotou o bom time do Galo por 2 a 1. Sim, o Atlético-MG é um dos melhores elencos do nosso futebol. E um time perigoso. Mas a nossa raça e dedicação foram o bastante para esta importante vitória na estreia.  E que será um bom combustível para a partida do ano, quinta-feira contra o Racing, na Argentina.

Foi uma partida eletrizante, do início ao fim, com uma entrada ríspida aqui, outra ali. Mas tivemos um jogo leal num todo.  O Vasco começou em cima, pressionando o adversário. Como resultado dessa pressão, tivemos duas chances aos 8 e 9 minutos.  Aos 8 minutos, boa jogada de Desabato fazendo fila e servindo a Wellington que soltou a bomba para grande defesa de Vítor, por sinal o grande nome do Atlético-MG hoje.  E um minuto depois, tabela de Wagner com Henrique e este cruza para Evander que chuta em cima da zaga e a bola sobra para Pikachu que acerta a trave esquerda de Vítor.  E aos 12, o primeiro gol do jogo: em um lance confuso na lateral esquerda cruzmaltina, Henrique sai jogando e o volante Blanco coloca a cabeça perigosamente no pé do lateral cruzmaltino e coloca a bola para lateral. Equivocadamente, o juiz dá lateral favorável ao Galo e a jogada é tramada e a bola é tocada para Otero que solta um belo chute e pega Martin Silva adiantado.  Um belo gol e o Galo abre o placar.  O time cruzmaltino fica meio grogue com o gol inesperado. Mas consegue recobrar os sentidos e volta à carga. E aos 25 minutos, cruzamento na área do Galo e Riascos acerta a cabeçada e outra bela defesa de Vítor.  Com a ofensividade e a ânsia de empatar logo, o Vasco deixa espaços e o Atlético-MG se aproveita para encaixar alguns contra-ataques perigosos. Aos 36 minutos, Ricardo Oliveira ganha de Paulão e Rafael Galhardo na corrida e cruza para Blanco acertar a trave de Martin Silva.  E perto do final do primeiro tempo, outro contra-ataque e Cazares arremata perigosamente para grande defesa de Martin Silva.  E providencialmente, termina o primeiro tempo.  Por pouco não somos traídos pela nossa instabilidade.

E começa o segundo tempo. E logo, a 1 minuto e meio, Henrique tenta seu primeiro gol com a camisa cruzmaltina; mas Vítor novamente salva o nosso gol de empate. O Galo resolve apenas ir na boa, sem o jogo mais franco mais no primeiro tempo. E aos 8 minutos, novamente Otero chuta para mais uma defesa de Martin Silva. E pouco depois, outro chute perigoso, agora de Blanco para outra defesa de Martin Silva. E o Atlético-MG parou por aí. Zé Ricardo fez as 3 substiuições que se fizeram cirúrgicas: Rildo no lugar de Rafael Galhardo, Tiago Galhardo no lugar de Wellington e Rios no lugar de Riascos. E com isso, o Vasco imprensa e o Galo nas cordas e as chances aparecem uma atrás da outra. Cabeçada de Rios, chute de Wagner para outra defesa de Vítor. E de tanto martelarmos a defesa adversária, o time cruzmaltino consegue a virada. Ela se inicia aos 41 minutos: em cruzamento de Pikachu, Andrés Rios cabeceia, a bola bate no zagueiro contrário e a bola sobra para Wagner soltar um chute forte e rasteiro no canto, indefensável para Vítor.  Jogo empatado.  O juiz opta por dar nove minutos de acréscimo, devido ao lance acidental entre Tiago Galhardo e Fabio Santos, na ponta direita. Tiago Galhardo foi para o hospital momentos após a partida. E aos 53 minutos, o lance que definiu a virada: bola esticada de Pikachu para Rildo, que dispara pela ponta-esquerda e é parado por um empurrão de Bremer. Reparem que, ainda que Rildo possa ter sido momentamente espalhafatoso na queda, há a alavanca do braço do zagueiro nas costas do ponta cruzmaltino.  Pênalti bem cobrado por Pikachu dando números finais a partida.

O nome do Vasco hoje foi Wagner. Incansável e com bons lançamentos e cruzamentos, fez o gol de empate e não se omitiu. Conduziu bem a nossa equipe hoje. Dois pontos importantes para a conclusão dessa narrativa: mesmo ao tomarmos um gol até certo ponto espírita, o nosso time em momento algum desistiu.  Jogamos os 98 minutos em cima do Atlético-MG.  Embora eles tenham ótimos jogadores do meio para a frente como Luan, Elias, Cazares, Otero e Ricardo Oliveira e mais o goleiro Vítor, um dos destaques hoje, valeu pelo bom esquema tático montado por ZR e a acreditar na virada, partir para cima. E o outro ponto, Wagner o melhor em campo hoje, juntamente com Pikachu. Comandaram o time e o levaram a uma grande vitória.  E que a atuação de hoje sirva para nos dar a moral necessária para a nossa grande batalha do ano: o jogo de quinta-feira contra o Racing de Avellaneda, no Nuevo Cilindro em que sofreremos uma forte pressão da torcida adversária. Mas se jogarmos o que jogamos hoje, principalmente no segundo tempo, os adversários terão que suar sangue para derrotar o time das viradas.