A situação começa a clarear.

Com a vitória de anteontem sobre o Botafogo, parece que a situação do Vasco em 2018 começa a clarear. Não digo pela tabela, pois o Fluminense tem 35 pontos e está a apenas 4 pontos do Vasco, fora que entre o Vasco e o Z4 , há 8 times embolados entre 32 e 37 pontos. Portanto, a briga ainda é contra o rebaixamento. Não creio que o corte será em 45 pontos, pois tem muito time disputando e está tudo muito embolado. Acho que com 48 a salvação é certa.

Temos 39 pontos, logo precisamos de 9 pontos em 10 jogos, são 9 pontos em 30 disputados. Só um completo desastre torna a história triste em dezembro.

Pensando na parte de cima da tabela, espero estar errado, mas não creio que conseguiremos a vaga pra Libertadores, até pela distância técnica e de pontos dos outros times de cima. O nosso time é muito irregular. Ao mesmo tempo que vencemos Grêmio e Botafogo, perdemos 4 pontos para Sport e Chapecoense de forma ridícula. Nossa tabela fora de casa é bem indigesta, mas a tabela dentro de casa é bem favorável. Analisando a tabela, temos tudo para pensar em Libertadores, mas quando lembramos do nosso time e de alguns resultados ao longo do campeonato, dá uma boa dúvida. A partir de agora pegamos:

Atlético GO fora
Coritiba casa
Flamengo fora
Vitória casa
Santos fora
São Paulo casa
Atlético MG casa
Atlético PR fora
Cruzeiro fora
Ponte Preta casa

Vamos aguardar o andamento do campeonato e torcer.

Em relação ao clássico contra o Botafogo, fizemos o inverso do que fizemos nos jogos anteriores. Um péssimo primeiro tempo e um bom segundo tempo.

Gostei muito da atuação da nossa zaga titular, que vem melhorando a cada jogo, estão demonstrando entrosamento e segurança. Gostei muito da partida que o Wellington fez, seguro atrás e se apresentando na frente. Nenê, apesar do gol, deu dois contra ataques perigosos ao Botafogo por tentar dar passe de calcanhar desnecessariamente, fora que não acertou nem escanteio. Madson sempre péssimo, Ramon parece ter recuperado o futebol que conhecemos. Jean é aquilo: rouba a bola e entrega de volta. Wagner é outro de quem não consigo gostar, pra mim é aquele jogador que vive do passado, no caso um ano de bom futebol pelo Cruzeiro. Thalles, prefiro não comentar por respeito aos leitores, mas pra mim é caso de rescisão contratual e boa sorte.

Agora o Mateus Vital, esse quero me alongar um pouco mais e serei contra o que a maioria fala (sobre ele ser sem sangue). O menino é bom jogador, com ótima visão de jogo (vide o passe por cima da zaga para o Nenê) e o vejo com um bom futuro. Não acho que ele seja sem sangue, acho que ele é inseguro devido ao físico pouco avantajado. Com o tempo irá melhorar. A torcida tem que ter paciência e segurar o menino.

Em relação ao Zé Ricardo, achei perfeito em todas as substituições. Não sei se perceberam, mas o PV iria entrar no lugar do Thalles quando Nenê fez o gol. Zé Ricardo trocou a substituição e pôs o Caio Monteiro que é mais veloz e agudo, contando que o Botafogo iria sair pro ataque.

Em relação ao PV, sou da opinião que se tem recurso, se não há desrespeito, vale tudo. Ele estava cercado por dois no canto do jogo, fez o que poderia ter feito dentro dos recursos que ele tem. Os mesmos críticos que hoje reclamam, foram os que falaram do Neymar e hoje o idolatram. Futebol é pra ser jogado e cada um com seu recurso.

Finalizando, vou fazer um comentário sobre o time do Botafogo. Vale o ingresso ver o time do Botafogo jogar, não pela questão técnica, mas pela obediência e disciplina tática absurdamente perfeitas. Time chato de atacar, chato de defender. Se Jair tivesse um elenco melhor na mão seria bem complicado. Há muito não via um time tão bem postado taticamente.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *