A redenção de Kelvin e nosso futuro

Em uma noite fora do comum em que tudo deu certo, principalmente no segundo tempo, goleamos de forma categórica o América Mineiro por 4 a 1.  Mas o que mais chamou atenção ao final da partida, foi a emoção do ponta Kelvin ao chorar copiosamente. Emocionado como se tivesse tirado uma tonelada das costas, Kelvin fechou a goleada com um belo gol similar ao de Robin Van Persie contra a Espanha na Copa de 2014. E ainda deu o passe para o terceiro gol. Uma atuação em grande estilo.

Só que no primeiro tempo, mesmo dominando o jogo, tivemos muitas dificuldades. O Coelho jogou fechado e bola queimava no pé do time cruzmaltino. Wellington deu o primeiro chute aos 7 minutos para fora.  Aos 17, Rafael Galhardo faz cruzamento rasteiro para Thiago Galhardo emendar; a bola bate no zagueiro Messias e engana o goleiro João Ricardo e quase sobra para Caio Monteiro empurrar para as redes.  Mas aos 31 minutos, o Coelho arma o contra-ataque pelo lado direito de nossa defesa e Norberto aparece livre em nossa área e é derrubado por Thiago Galhardo na grande área.   Galhardo se machuca e Bruno Cosendey entra em seu lugar. E esta alteração irá mudar a história da partida, como veremos mais adiante.  Pênalti. Rafael Moura cobra com categoria e abre o placar. Após o gol, o time cruzmaltino ficou mais tenso ainda. Mesmo assim, aos 45 tivemos a chance do empate em cobrança de escanteio com uma cabeçada certeira e João Ricardo espalma para escanteio.

No segundo tempo, começaria a bela reação cruzmaltina.  Um sinal veio logo aos 30 segundos em um cruzamento e uma cabeçada de Caio Monteiro na trave. E o time imprensou o América Mineiro em seu próprio campo.  E o empate não demorou. Aos 11 minutos Caio Monteiro recebe primoroso lançamento de Paulão, dribla dois contrários e cruza para Bruno Cosendey tocar de chapa. Belo gol e jogo empatado. O Vasco continuou em cima e o segundo gol não tardaria a vir.  E uns 12 minutos mais tarde, outro lançamento certeiro de Paulão, Bruno Cosendey apara de cabeça para Caio Monteiro completar com categoria das redes. O time da virada ataca novamente.  Aos 26 minutos, Caio Monteiro cansa e sai com caimbras.  Entra Kelvin.  E Wagner entra também no lugar de Rafael Galhardo. Kelvin entra e corre o campo todo, driblando todo o mundo na ponta e auxiliando Pikachu na marcação. E em uma dessas jogadas pela direita, aos 35, ele passa por dois contrários e cruza para Andrés Rios completar e fazer 3 a 1.  Mas não ficaria apenas nisso. Nos acréscimos, Kelvin aproveita um lançamento de Desábato e completa de cabeça, encobrindo o goleiro João Ricardo. Belo gol, goleada consumada e jogo encerrado.  Em grande estilo.

Após o apito final, chamou a atenção, o choro de Kelvin. De alegria.  Depois de longos 8 meses, recuperação complicada para quem quase cogitava encerrar a carreira de forma prematura.  Obrigado Kelvin.  Voltou em grande estilo e poderá seguir com seu talento mais adiante. Quem sabe mais alguns anos por aqui conosco.  E que essa seja a primeira de muitas emoções.  Com relação a nosso futuro, após a publicação do Balanço Patrimonial, Fred Lopes e mais doze vice-presidentes ligados ao grupo Identidade Vascaína entregaram seus cargos ao presidente Alexandre Campello. Quando Fred Lopes reclamou, dizendo não ter tido participação na negociação do atacante Paulinho, algo de estranho estava por vir. E aconteceu essa debandada. Claro está que essa é uma manobra para pressionar Campello a renunciar. Segundo as últimas informações, os grupos de Horta e Otto de Carvalho se prontificaram a apoiar a atual diretoria. Falta a Sempre Vasco se pronunciar. Mas o melhor cenário hoje seria Brant apoiar Campello. Do contrário, o fantasma de EM volta. Que fantasminha renitente esse.