A Queda do Gigante

Talvez nem o mais pessimista de nossos torcedores pudesse esperar tamanha queda. Mas a derrota de hoje para o Avaí, por dois tentos a um, nos trouxe uma realidade que antes era impensável: um time que manteve uma invencibilidade de 34 jogos agora sofre duas derrotas seguidas. Isso mesmo, duas derrotas seguidas. E o que será que pode ter ocorrido para uma oscilação tão abrupta de um time que parecia tão regular?

A verdade é que, antes mesmo dessa invencibilidade acabar, o escrete cruzmaltino já não vinha jogando bem e tinha vencido alguns jogos na genialidade de Nenê e na eficiência de Andrezinho. E quando acontece de nenhum dos dois jogar bem ou um ambos estarem marcados? Infelizmente, hoje o Vasco depende de ambos. As melhores jogadas e a criação passam por eles. Além do mais, nossos adversários já perceberam nossos pontos fortes e fracos. Hoje, todos sabem a forma de nosso time jogar. E assim marcam nossas melhores jogadas. Assim fez o Avaí hoje. Nos aniquilou no segundo tempo. O primeiro tempo foi uma autêntica pelada, com apenas um chute para cada lado e ambos para fora do gol.

Já o segundo tempo foi mais animado e ofensivo, com o jogo franco, lá e cá. E aí, o zagueiro-galã Aislan resolve ajudar nosso bravo adversário. Estando mal posicionado, a bola bate em sua canela e a bola sobra para o atacante avaiano Renato tocar para o fundo da rede, sem chance para Martin Silva: Avaí 1 a 0. Jorginho mexe no time, tira Julio dos Santos e coloca Caio Monteiro e Madson, que mal apareceu no jogo, por Pikachu. O time passa a atacar mais, mas se desguarnece na defesa e dá espaço aos contra-ataques do Avaí, que recua. Então toma o segundo gol anotado por Romulo. A partir daí, o Vasco se abre de forma ainda mais atabalhoada. Então Rodrigo fica no mano a mano com o atacante do Avaí e, supostamente, comete falta. Lance duvidoso. Mesmo que tivesse havido falta, seria fora da área. Pênalti mal cobrado, que Martin Silva defendeu. Se não defendesse, poderia ter sido pior. Caio Monteiro descontou, 2 a 1, mas já era tarde para reagir.

Consequências imediatas: Atlético Goianiense nos alcançou na liderança, Ceará a um ponto da gente em terceiro e CRB a 3 pontos na quarta colocação. OK, o importante é subir para a Série A, mas perdendo assim e tendo o melhor elenco da Série B, não podemos considerar isso o normal. A verdade é que o Vasco parece ter perdido a consistência defensiva e a saída rápida que caracterizou a nossa equipe nos 34 jogos invicto. Cabe agora ao nosso comandante Jorginho descobrir a causa desse descontrole e recolocar nossa nau no rumo certo novamente.