A peneira cruzmaltina

Dos 43 jogos que o Vasco disputou este ano, em apenas no máximo 5 jogos, o time não levou gols. Tomamos gols de Cabofriense, Nova Iguaçu, Bangu….Ou seja, tomamos gols não apenas de Bahia, Cruzeiro e Racing, mas também de times nitidamente inferiores.  Ontem, em mais uma partida lamentável, tomamos 3 gols do Bahia.  E poderia ter sido muito pior, não fosse a sucessão de gols perdidos em profusão pelo tricolor baiano e este ter tirado o pé após o terceiro o gol.  Ou seja, lamentável.  E com isso, estamos praticamente fora da Copa do Brasil. E na situação em que o Vasco está, em que os prêmios são milionários e atravessamos uma crise financeira sem precedentes, não poderíamos desperdiçar esta oportunidade. Só em passar para as quartas de final, ganharíamos mais de 5 milhões de reais. Isso já não seria motivação suficiente para dar a vida em campo ontem ??

E exatamente pelos altos prêmios oferecidos, o nosso time teria que ter uma motivação a mais para ter brios e jogar com raça, vontade, espírito de luta. Mas em 90 minutos, só tivemos uma chance real de gol.  Vejam, uma chance!! Como é que um time que disputa uma fase de oitavas de final só tem uma chance de gol o jogo todo ?  Ao contrário, o Bahia teve mais de 10 chances. Principalmente no primeiro tempo.  É bem verdade que a um minuto, o Vasco fez uma boa troca de passes e Andrés Rios chutou prensado com a zaga do Bahia; mas depois dessa jogada só deu Bahia.  E foi um gol perdido atrás do outro.  Eles chegavam ora com João Pedro pela direita, ora com Léo Pelé pela esquerda.  Pela esquerda então, saíram as melhores chances, especialmente o primeiro gol.  Zé Ricardo tem mudado o time com certa constância.  Mas colocar um zagueiro como lateral direito, é receita para um desastre.  Aos 18 minutos, saiu o primeiro gol tricolor: jogada pelo meio, Paulão e Erazo batem cabeça e a bola sobra limpa para Zé Rafael fuzilar cara a cara com Martin Silva.  Não podemos dizer que Martin falhou no lance, mas estava um pouco adiantado.  E seis minutos depois, saiu o segundo:  jogada em cima de…..Werley, o zagueiro que jogou na lateral direita. E sai o cruzamento para, Edigar Junior, livre, tocar para o fundo das redes.  OK, foi em cima do Werley, mas mais uma vez, a bola foi no meio da dupla de zaga que deixou espaço para Edigar Junior.  Isso foi uma constante o tempo todo.  Após o gol, aos 35, novamente a mesma jogada, só que dessa vez pelo lado direito, e Paulão salva o gol em cima da linha.   É bom lembrar que, antes do primeiro gol, o Bahia já havia perdido pelo menos umas 4 chances claras de gol.  E Zé Ricardo resolveu tirar Bruno Cosendey, que deu até um bom chute a gol para defesa do goleiro baiano antes de tomarmos o primeiro gol e colocou Wagner.  A alteração não surtiu o efeito desejado.

No segundo tempo, quando se pensava em uma atitude diferente por parte de nossa equipe, aos 4 minutos, o tiro de misericórdia:  Desabato tenta sair jogando e erra de forma bisonha; Zé Rafael toca para Vinicius que chuta colocado fora do alcance de Martin Silva. Um vexame. Três a zero.  E poderíamos ter tomado o quarto seis minutos depois em jogada pelo lado direito, em que Martin Silva defendeu.   Após esse lance, o Bahia resolveu tirar o pé.  Mesmo assim, o Vasco era inoperante, não criava nada. O jogo se tornou sonolento.  Zé Ricardo tirou Caio Monteiro e Werley para as entradas de Kelvin e Andrey. Em termos práticos, foi do nada ao coisa alguma.  Mesmo assim, com o relaxamento natural do time baiano, aos 43 tivemos uma chance clara com Kelvin, de frente para o gol que chutou forte, mas a bola bateu no travessão e saiu.  Acabava-se ali o nosso calvário.  Ou não.

Com essa derrota por 3 a 0, praticamente o Bahia carimbou a vaga.   Fazer quatro no jogo de volta é no mínimo improvável. O Bahia teria que andar em campo para isso acontecer.  Em termos normais, no jogo de volta, o máximo que podemos fazer, é uma partida digna e ganhar por 1, 2 a 0. Mas 3 a 0, muito difícil nas CNTP’s.  E o futuro ?  Provavelmente para nós, é fazer uma campanha digna no Brasileiro, não sermos rebaixados e depois de alcançar os 46, 47 pontos, é seguir em frente e ver o que podemos conseguir.  OK leitor, você pode até nos acusar de  termos pensamento pequeno e tals por isso o Vasco está nessa situação.  Mas é a realidade leitor. O que esperar de um time que já tomou 43 gols até esse momento, perto de  um longevo recorde negativo de 2005 ?? Complicado acreditar nessa equipe.