A magia de Thales Magno

Ontem em SJ, a tarde foi de Thales Magno. Com um gol, o primeiro de sua carreira profissional, e com bons dribles e bom domínio de bola, foi o grande destaque da vitória cruzmaltina sobre o Sampa ontem. O time cruzmaltino foi absoluto em campo, foram 5 chances de gol claras contra apenas 1 deles. Sem dúvida uma das melhores partidas do time nesse Brasileirão.

O Vasco começou a partida com uma boa marcação da intermediária para trás, bloqueando qualquer iniciativa adversária. O São Paulo não conseguia sequer torcar 3 passes no ataque. E todos os caminhos fechados, seja no meio, seja pelas pontas. E com isso, Thales Magno e Marrony, outro que atuou muito bem ontem, alternavam as posições, com grande velocidade, confundindo a defesa adversária. Com isso, Marrony teve duas chances, atacando em velocidade aos 24 e 31 minutos, com as bolas colocadas passando rente à trave. Foram poucas chances de gol, apesar do cruzmaltino jogando melhor. Mas o Sampa foi perigoso aos 44 minutos, em que Antony, aproveitando que Henrique, que não o deixou passar enquanto esteve em campo porque foi substituído devido a expulsão de Raniel aos 35 minutos, passou facilmente por Danilo Barcelos, entregou a bola a Tchê Tchê e este para Éverton livre chutar para boa defesa de Fernando Miguel. Por sinal, a única chance clara do São Paulo no jogo todo.

No segundo tempo, o Vasco veio mais lento, devido ao ritmo de forte marcação. Mesmo assim, o Sampa não atacava e dava brechas para o Vasco atacar. E em uma dessas brechas, aos 12 minutos, escanteio da esquerda; Danilo Barcelos cobra, Leandro Castan desvia de cabeça e Thales Magno, mata a bola com categoria com a perna direita e com a esquerda toca colocado, sem chances para Tiago Volpi, abrindo o placar. Após o gol, o Sampa se abriu e o Vasco golpeou nos contra-ataques, com a velocidade de Rossi, que entrou no intervalo, no lugar de Andrey. Com o trio, Rossi, Marrony e Thales Magno, o ataque cruzmaltino vinha em velocidade e em 1 desses contra-ataques, perdemos boa chance com Rossi, aos 29 minutos. Dois minutos depois, boa jogada de Thales Magno, que chuta venenosamente de fora da área e Tiago Volpi faz grande defesa para escanteio. Aos 34 minutos, jogada com Danilo Barcelos na esquerda e outro cruzamento, dessa vez para Felipe Bastos entrar livre e só desviar, sem chances para Tiago Volpi. Partida liquidada e ainda podia sair o terceiro, aos 43, em que Marrony fez bela jogada na ponta esquerda e cruza; mas Arboleda desvia para escanteio antes que Rossi chegue na bola.

Com o resultado, o Vasco subiu para o décimo quarto lugar, melhorando sua posição. E com o empate do Cruzeiro, seguimos a 7 pontos do Z4. A Chape, em décimo sétimo, enfrenta o Botafogo e dificilmente vencerá. Talvez aí fiquemos a 6 ou 7 pontos do Z4, o que dá uma tranquilidade maior para o onze cruzmaltino seguir em frente. O próximo desafio é contra o Cruzeiro no Mineirão. A raposa melhorou seu rendimento com Rogerio Ceni no comando. Há que se ter cuidado com eles. Mas é jogar como ontem: fechado na defesa e contra-ataques rápidos. Empate lá já é um bom resultado, mas é tentar a vitória. Quanto mais pontuarmos, menos sofrimento lá no final do certame.