A década e/ou as décadas perdidas

2001…2017. 16 anos de chacota, sofrimento e afins. Esse é o período mais negro da história moderna de nosso amado Vasco da Gama. E este espaço, o nosso Panorama Vascaíno, é um espaço que objetiva, antes de tudo, informar e analisar os rumos de nosso clube do ponto de vista do torcedor, crítico e justo. E hoje o tema são as administrações Eurico/Dinamite que culminaram em uma crise que parece sem fim do Gigante da Colina.

Voltemos no tempo. 1983. O Vasco se sagra campeão estadual em dezembro de 1982, após 5 anos, no último mês de Alberto Pires Ribeiro na presidência. O Vasco monta bons times no início da década de 80; mas a gente perde em 80 para um jovem time do Fluminense, com um gol de falta de Edinho com um chute traiçoeiro que quica e induz a falha de Mazaropi. Apesar de termos um time mais experiente, Claudio Adão lidera os garotos do Fluminense que nos liquidaram em 1980. Já em 1981, decisão em 3 jogos contra o recém campeão da libertadores Flamengo. Tínhamos que ganhar 3 vezes. Ganhamos duas e na terceira, quando fizemos 2 a 1, um ladrilheiro entra em campo e acaba com o jogo. E finalmente, em 1982, Antonio Lopes barra um time quase inteiro e nos sagramos campeões estaduais. E nos bastidores surgia a figura polêmica e combativa de Eurico Miranda, em embates históricos com Michel Assef, dos mulambos. E é eleito o maior presidente de nossa era moderna por longos 17 anos: Antonio Soares Calçada. Somente 3 presidentes até hoje na história do clube uniram o clube: Ciro Aranha, Calçada e Agathyrno. Coincidência ou não, são os presidentes mais vencedores. E de 1983 até 2000 foram muitos títulos: 6 estaduais, 3 brasileiros e 1 taça libertadores. Quer mais ?

E chegamos em 2001. Capitaneados pelos títulos da Mercosul em uma virada histórica em cima do Palmeiras e quarto título brasileiro, assume Eurico Miranda, apoiado por Calçada. E é aí que Calçada comete seu grande erro. Eurico chega a tão almejada presidência de nosso clube. É o começo do fim. Em 16 anos, três estaduais e uma Copa do Brasil, com Dinamite. Entenderam a diferença ? Abissal. Eurico conseguiu se eleger em cima do sucesso de Calçada. Mas o que explica essa diferença é simples: Calçada unia o clube; Eurico desagrega. E sem contar que Eurico faliu a rede de padarias do seu pai e deixou a Besouro Veículos em situação dífícil. Então por que colocaram Eurico esse tempo todo ?

Eurico pode ser um cara que briga pelo clube. Mas sempre brigou nos bastidores e como um bom vice-presidente. Desta forma o Vasco funcionava bem. Mas como presidente, um completo desastre. E não adianta culpar o banana, pois ele deixou o clube falido em 2008. O Banana foi eleito como um sopro de esperança, para tirarmos o Eurico. Deu no que deu. Mas se há um culpado nisso tudo, o único chama-se Eurico Miranda. Não tivesse ele cometido desatinos de 2000 a 2008, jamais teríamos o risco Dinamite. A verdade é essa. Mesmo assim, Dinamite montou o melhor time do Vasco no período que foi campeão da Copa do Brasil em 2011 e nos levou a Libertadores depois de longinquos 11 anos. Um time que tinha Dedé, Anderson Martins, Felipe, Diego Souza, Juninho Pernambucano. E que ficou 54 rodadas seguidas no G4 da Série A.

Aqui é apenas um resumo. E cabe agora a nós torcedores, o maior patrimônio de nosso clube a tomar as rédeas de nosso clube e fazermos de tudo para reunir o clube novamente como um só. Só que isso requer a retirada do atual mandatário e seus seguidores, como a seita CASACA (ou cascata), do poder. Chega dessa conversa fiada de vascaíno de raiz. Basta! Chega de chacota. O Vasco somos nós.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

 me restam!