A cruz que carregamos

Para nós, abnegados torcedores e sócios, que carregamos a cruz de malta no peito. Uma cruz que tem carregado problemas por esses longos 18 anos e que esta semana passou por momentos tumultuados dentro e fora de campo.  E culminaram hoje em uma melancólica goleada em casa por 4 a 0 diante do bom time do Cruzeiro.  Sim, o Cruzeiro, mais o Palmeiras e mais o Grêmio, formam os 3 melhores elencos do nosso futebol na atualidade. Os mulambos estão abaixo desses três times. Então, não é nenhum demérito perder para eles. É a forma como perdemos.

E para se ver, foi uma goleada com requintes de crueldade. E isto porque, antes do primeiro gol, aos 9 minutos do primeiro tempo, o Vasco teve duas chances: uma com Andrés Rios em boa defesa de Fábio com um minuto e meio de jogo e Thiago Galhardo 4 minutos depois tentando por cobertura para outra defesa de Fábio. Só que quem não faz leva: mesmo ciente da superioridade técnica deles, tomamos um gol de pelada. Cruzamento do lateral esquerdo Egídio, a bola é alcançada pelo zagueiro Léo que empurra para a rede aos 9 minutos.  Mas o requinte de crueldade aparece no lance: 4 jogadores do Cruzeiro aparecem impedidos, inclusive o próprio Léo. E o juiz valida o gol. Gol irregular. E não iria parar por aí. Aós o gol tomado, apesar do nervosismo com o erro da arbitragem, o Vasco segue no ataque e três minutos após o gol adversário, a bola pipoca na área cruzeirense, ocorre um bate-rebate e Lucas Romero salva em cima da linha uma cabeçada de Thiago Galhardo. Aliás este jogador foi o único que tentou algo diante do imponderável.  E aos 20, o segundo golpe fatal: Egidio escapa livre pelo lado direito de nossa defesa e cruza rasteiro para Thiago Neves completar para o fundo das redes, livre entre Paulão e Werley. E para completar o pesadelo, aos 31 minutos, mais uma escapada de Egídio pelo lado direito que serve a Sassá livre para se ajeitar e mandar um foguete no ângulo direito de Martin Silva. Este teve uma falha por estar adiantado; talvez estando no gol, conseguisse evitá-lo. Com 3 a 0 no primeiro tempo, começaram as brigas nas arquibancadas de SJ.  Entendemos a razão, perder de 3 a 0 é realmente desolador; mas brigar e se desentender é pior. E assim terminou o primeiro tempo, com uns 12 minutos de acréscimo até o tumulto cessar.

 

No segundo tempo, também começamos em cima, com uma bom chute de Thiago Galhardo em boa defesa de Fábio. Aos 6 minutos, Henrique cobra bem uma falta e Fábio voa e põe a bola para escanteio.  Só que aos 10 minutos, acaba o sopro de uma possível reação: bola lançada para nosso campo de defesa e Sassá corre feito um louco, empurra Werley e toca livre para o gol, dando os números finais.  E com mais um requinte de crueldade: outro gol irregular.  A partir daí , nada mais de relevante ocorreu no jogo.  E tomamos de 4 mais uma vez. Só que em nosso estádio.  Em que pese termos tido dois gols irregulares, a superioridade do time mineiro foi nítida. Talvez nem precisassem desses gols. Ficaram latentes nossas limitações. E agora José…

 

Para completarmos a tragédia que se abateu sobre nosso manto, Alexandre Campello pôs as cartas na mesa ao publicar o balanço do Vasco. Em que pese alguns acordos escusos entre o grupo que apoia Campello e o grupo Casaca (maravilha), Campello tirou o seu da reta e publicou o que muitos já desconfiavam: a gestão anterior caprichou em sua incompetência para gerir o clube.  Resultado: o Vasco está completamente entregue financeiramente. Eis a  razão pela qual não temos grana para contratar jogadores de ponta e montar um time à nossa altura. E sabe-se lá daqui para a frente, o quanto sofrerá nosso amado clube.  18 anos de desmandos administrativos não se consertam em um ano de gestão. Isso será para no mínimo umas 3 gestões, até que o clube consiga voltar a respirar. A verdade é que o Vasco está saqueado. E essa goleada do Cruzeiro é apenas uma consequência de tudo o que tem ocorrido nesses 18 anos.  Há muito o que se fazer pela frente.

 

Posted By Ricardo Fortes

1 Comment

Marcio-Goiás

….mais uma escapada de Egídio pelo lado direito…. esse foi e sempre o nosso lado vulnerável, não adianta esperar que os 2 zagueiros resolvam o problema, se toda hora a bola passa por alí, o Picachu não pode ser colocado ali, precisamos urgente de um lateral direito pra resolver o problema da defesa, sempre que ele jogou na lateral nos tomamos de 4. Quanto aos dirigentes nada de novo, estamos endo saqueados a muitos anos e nada é feito, hoje o Vasco é caso de polícia, temos uma milícia dentro do clube que inibe a todos de denunciar. Lamentável.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *